Novembro 18, 2018 writeideas

Conteúdos orgânicos ou patrocinados, sempre diferenciados

Qualquer plataforma de comunicação de qualquer empresa, marca, instituição ou área de influência na sociedade, vive de conteúdos. Os conteúdos são as ideias postas em palavras e imagens, são os temas expostos, explicados e desenvolvidos para consumo de quem se interessa por eles ou de quem queremos que se interesse. Os conteúdos são, logo a seguir às ideias, a base da comunicação.

Se esses conteúdos chegam aos públicos de forma orgânica ou patrocinada (em espaço publicitário pago), isso prende-se com a forma como cada instituição traça a sua estratégia de comunicação e com o orçamento que dedica a promover os seus conteúdos. Mas, de uma forma ou de outra, os conteúdos devem ser produzidos com qualidade, devem ter interesse e relevância para quem os lê, vê e ouve. Devem ser diferenciados, oferecer ideias, valor acrescentado, informação útil para que despertem a atenção e fidelizem os públicos. Quem consume os conteúdos da sua marca só vai ficar fidelizado e tomar a decisão de seguir a empresa ou instituição se encontrar nesses conteúdos informação de valor para as suas dúvidas, questões ou interesses.

Tanto os conteúdos patrocinados, como os que atingem os públicos de forma orgânica, devem ser elaborados com base numa estratégia previamente definida e tendo em conta critérios de qualidade e interesse para quem os lê. Só assim os públicos vão ficar fidelizados, mesmo que tenham sido captados, num primeiro momento, através de um conteúdo patrocinado. Confira de seguida os pontos fundamentais para criar conteúdos de qualidade e diferenciadores.

conteúdos criativosCinco aspetos fundamentais a ter em conta para produzir conteúdos de qualidade

1 – Defina o que quer comunicar

Qual o seu produto, serviço ou ideia? Ainda antes de definir qual é o seu público, é necessário perceber o seu produto. Parece óbvio? Talvez, mas nem sempre as equipas estão bem informadas sobre o produto que devem vender ou ideia que devem transmitir. Defina exatamente o que quer divulgar, quais os pontos fortes da sua ideia, produto ou serviço e quais os benefícios que ele vai trazer a quem o adquirir (seja no sentido da compra ou da adesão a uma ideia/valor/posição). De seguida explique isso muito bem à sua equipa! Este é um ponto muito importante, pois as ideias não podem estar apenas na mente dos gestores e dos líderes empresariais. Transmita convenientemente a ideia aos seus marketeers, accounts, especialistas em marketing digital, writers, assessores de comunicação, designers, etc. Todos os profissionais envolvidos no processo da venda, da comunicação e da divulgação devem estar bem informados sobre o que vai ser oferecido ao mercado.

2- Defina o seu público

Saiba a quem quer chegar, quais as caraterísticas desse público e onde ele se encontra no que diz respeito à pesquisa de informação e conteúdos: em que redes sociais estão os targets que pretende alcançar, que tipo de dinâmica e de informação essas pessoas procuram, que idade têm, que gostos e interesses partilham… No fundo, deve definir uma persona, esse é um dos primeiros e mais importantes passos numa estratégia de marketing digital. A persona é a representação fictícia do seu cliente ideal, mas baseada em comportamentos e hábitos reais. Quando tiver os seus públicos definidos vai ser muito mais fácil saber como deve comunicar com eles!

3 – Crie conteúdos diferenciados

Criar conteúdos diferenciados não é sinónimo de criar conteúdos extremamente complicados. Conteúdos diferenciados são os que têm relevância, marcam a diferença, acrescentam valor e trazem algo de útil a quem os lê.

Seja criativo na produção dos conteúdos. Pode (deve!) optar por algo fora da caixa quando assim se justificar, mas tenha em mente que não deve perder o foco. Não perca o foco do seu objetivo principal: transmitir uma ideia com clareza. Use a criatividade e o humor de forma útil para chamar a atenção, para se diferenciar, mas não se perca em conteúdos tão rebuscados, que só uma pequena percentagem do seu público os vai entender.

Seja criativo, vá direto ao assunto e simplifique, apresentando sempre a vantagem e o valor acrescentado que a sua ideia ou produto trazem ao seu público-alvo.

4 – Crie conteúdos específicos para cada plataforma

Comece pelo site ou blog corporativo/temático, onde terá os seus conteúdos alojados e arquivados (nunca se esqueça que os conteúdos partilhados nas redes sociais não são seus, podem ser apagados irremediavelmente se não estiverem alojados numa plataforma própria da sua empresa ou instituição). No site pode ter uma dinâmica noticiosa, de partilha de novidades sobre o que acontece na empresa, novos produtos, conquistas, prémios, eventos. O blog vai ser um espaço complementar, com conteúdos mais desenvolvidos e que possam ser disponibilizados a quem se interesse sobre determinado assunto e está disposto a ler mais sobre ele. Convido-o a ler este artigo em que explico a importância de um blog corporativo.

Em relação às redes sociais, cada uma tem a sua dinâmica e formatos de conteúdos que criam mais interação do que outros, por isso vale a pena investir na produção de conteúdos diferenciados para cada rede social. Ainda em relação às diferentes plataformas e redes sociais, defina onde a sua empresa, marca ou instituição deve estar. Faz sentido estar presente em todas as redes sociais? Não adira às redes sociais “porque sim”, defina uma estratégia de marketing digital conforme os públicos que quer alcançar e escolha as redes sociais mais adequadas para alcançar os seus objetivos.

5 – Defina uma identidade, mas não ignore as tendências

Defina um estilo e uma identidade para a sua comunicação conforme o público que pretende alcançar. Defina um “tom de voz”, um estilo de comunicação com o seu público, um estilo de conteúdos e de interação que pretende gerar. Mas não deixe de olhar à volta para acompanhar o que está a acontecer e quais são as tendências. Se a tendência passa a ser um determinado tipo de vídeo ou um novo tipo de interação nas redes sociais, analise de que forma essa tendência pode ser útil para a sua comunicação e decida se a deve implementar, talvez com as devidas adaptações à realidade da sua marca. Mais uma vez: não faça “porque sim” na medida em que tudo o que é feito sem estratégia tem um alcance nulo ou limitado.

Susana Veloso
Write Ideas

  • partilha
Tagged: , ,